07 novembro, 2006

Agora é a tua vez!

Há algum tempo atrás uma mãe puniu o seu filho de cinco anos por estragar um rolo de papel dourado que ia, por fim, decorar uma caixa a ser colocada sob a Árvore de Natal. Na manhã seguinte à noite de Natal, o menino trouxe a caixa e entregou-a à mãe dizendo:

- Isto é para ti, mamã. A mãe ficou embaraçada pela sua reacção precipitada, mas a sua raiva aflorou, novamente, quando viu que a caixa estava vazia, e falou rudemente com o menino: - Tu não sabe que quando se dá um presente a alguém é esperado que haja alguma coisa dentro do pacote? O menino olhou-a em lágrimas e disse:

- Oh, não está vazia, mamã. Eu soprei para dentro dela, até ficar cheia de beijos. A mãe ficou arrasada. Ajoelhou-se e pediu perdão pela sua ira irracional, abraçou-o com ternura.

Um acidente tirou a vida do menino pouco tempo depois e é sabido que a mãe guardou aquela caixa dourada perto da sua cama para sempre.

Sempre que estava deprimida ou tinha de enfrentar problemas, ela abria a caixa e imaginariamente tirava um beijo e lembrava o amor que a criança colocou lá.

Verdadeiramente, cada um de nós, seres humanos, temos recebido uma caixa dourada repleta do amor de nossos filhos, família, amigos e de DEUS.

Não há maior tesouro a possuir.

5 comentários:

José Maia disse...

mt lindo o texto, verdadeiramente uma historia k devera perdurar para sempre nos nossos coraçoes

Anónimo disse...

gostava mt de te poder oferecer um presente desses, vem ter cmg e revela quem sou, para k eu to passa dar. jtxxxxxxx

Irene disse...

Uma historia muito bonita, que nos faz pensar nas nossas atitudes, nas nossas reações, por vezes tão amargas e sem motivo... faz-nos reflectir, sobre a nossa maneira de agir, e de como devemos pensar duas vezes antes de falar… ;)

Uma caixinha cheia de amor... foi o que aquele filho deixou, aquela mãe...

Também nós, devemos deixar algo, a quem nos rodei, a quem nos quer bem, e mesmo, a quem não... Deve ser uma caixinha de amor, de amizade… não precisa de ser dourada… basta que seja uma caixinha feita pelo nosso trabalho, pelo nosso empenho, pelos nossos dons… uma caixinha repleta da nossa vida, de entrega aos outros, e, acima de tudo… uma caixinha, onde Deus esteja sempre presente…

Ritinha, continua a colocar as tuas belas mensagens, e obrigada… pela caixinha que nos dás todos os dias… caixinha repleta da tua alegria, da tua amizade, da tua dedicação…

Beijinhos

Pedr0 disse...

como a irene já disse, esta história devia fazer-nos repensar algumas das nossas atitudes, para sermos nao só mais tolerantes como para aprendermos a valorizar mais algumas das nossas relações pessoais. eu já conhecia a história, mas mesmo assim, é uma história marcante que vale a pena ser divulgada.

um beijinho para ti rita

Anónimo disse...

olá Rita
gostei da história da caixa. O CJ é um grande armazém dessas caixas que se abrem ao sábado.
P. Manuel